About Me

Minha foto
Lucio antonio G. silva
Brazil
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Centenário AD

Sou afiliado

Tecnologia do Blogger.
quarta-feira, 20 de abril de 2011

Lição 04- Espirito Santo -Agente Capacitador da Obra de Deus

                                                                  Texto Áureo
                          
.“E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até do que do alto sejais revestidos de poder(Lc 24.49).
___________________________________________________________________________________________________
                                                 VERDADE PRÁTICA
O Espírito Santo ajuda-nos a viver de maneira santa e habilita-nos a realizar, com eficácia, a obra do Senhor Jesus Cristo.
 
___________________________________________________________________________________________________
 

Introdução:

O Dia de Pentecostes inaugurou uma nova fase no relacionamento do Espírito Santo com a humanidade (At 2). Esse acontecimento também demarcou o início da capacitação sobrenatural — o “revestimento de poder” — para que a Igreja cumpra eficazmente a Grande Comissão que nos confiou o Senhor Jesus (Mt 28.19,20). Na lição de hoje, veremos que o Consolador atua em nossa conversão, auxilia-nos a viver de modo santo e  digno e habilita-nos a realizar a obra de Deus.
O Espírito Santo é o representante de Cristo; a ele está entregue toda a administração da igreja até a volta de Jesus.Cristo sentou-se no céu onde Deus "sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja", e o Espírito desceu para começar a obra de edificar o corpo de Cristo. O propósito final do Consolador é o aperfeiçoamento do corpo de Cristo.Como vimos no texto áureo os discípulos aguardaram em Jerusalém até serem revestidos de poder para enfim realizarem a obra de Deus, sem o Espírito Santo  não é possível realizar esta obra.
 

I. O RELACIONAMENTO DO ESPÍRITO SANTO COM A HUMANIDADE                                

 

 1. O Espírito Santo operando em nossas faculdades mentais. O Espírito Santo trabalha no coração e na mente do homem para que este se renda a Cristo, pois é da vontade de Deus que todos, sem exceção, sejam salvos (1 Tm 2.1-4). O Senhor Jesus Cristo ensinou que um dos trabalhos do Espírito Santo é justamente convencer o pecador dos seus erros (Jo 16.8-11), dando-lhe o entendimento necessário para que creia e se arrependa, sendo assim vivificado espiritualmente (Rm 8.1,2).
Através da ação do Espírito Santo o homem toma conhecimento que existem dois caminhos, Deus quer que todos se salvem e enviou seu Filho para isto, no entanto a rejeição deste sacrifício tem como conseqüência a condenação eterna.
 A Bíblia fala de um homem chamado Nicodemos ( João 3.1) que era doutor da lei,fariseu era rico e fazia parte do sinédrio, o conselho de governo da nação judaica. Provavelmente jejuava diversas vezes por semana, e passava todos os dias algum tempo no templo em oração. Dava o dízimo do que ganhava e, ao que parece, era um mestre religioso de destaque, Em certos círculos hoje ele seria considerado um cristão exemplar. Mas Jesus lhe disse que tudo de bom que ele fazia não era suficiente. Jesus lhe disse: "Todos vocês precisem nascer de novo" (João 3:7, BLH).
Jesus continuou, explicando que este novo nascimento – esta regeneração espiritual – é efetuado pelo Espírito Santo. "O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito" (João 3:8).

2. O Espírito Santo operando nos sentimentos e vontades. O convencimento intelectual do homem não é suficiente para levá-lo a receber a Cristo (Mt 7.26,27; Tg 1.21-25). Por isso, na esfera das emoções, é preciso que o pecador seja encorajado pelo Espírito Santo a inclinar-se às coisas espirituais, levando o homem ao arrependimento e a decidir-se por Cristo (Jo 12.42,43). Stanley Horton, teólogo pentecostal, afirma que “esse trabalho do Espírito Santo é chamado de ‘a doutrina da vocação’ ou do ‘chamamento’”. Estejamos certos de algo muito importante: é Deus, mediante o Espírito Santo, quem dá o primeiro passo em direção ao pecador. Todavia, é bom lembrar que Ele não restringe a liberdade do indivíduo e respeita o nosso livre arbítrio (Jo 12.47,48).

3. O Espírito Santo e a adoção. Sem a ação do Espírito Santo, jamais seríamos adotados pelo Pai (Rm 8.15). Adotar significa “pôr como filho”. Após decidir-se pelo Senhor Jesus Cristo, passamos a ser herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo (Rm 8.17). A partir desse momento, inicia-se o processo de falar e agir em conformidade com a Palavra de Deus (Rm 12.2). A boa notícia é que não estamos sozinhos; o Espírito de Deus fortalece-nos e ajuda-nos também nessa nova etapa (Gl 5.16-26).

 

                                            

 

II. O ESPÍRITO SANTO NA VIDA DO CRENTE

1. A presença constante do Espírito Santo. 
Como acabamos de verificar, mesmo após a conversão, o Espírito Santo continua a trabalhar em nossa vida, aperfeiçoando-nos o caráter, moldando-nos a personalidade e controlando-nos o temperamento. Sem essa presença e companhia constantes, não seria possível ao crente viver de maneira fiel na presença de Deus (Jo 14.16,17; Rm 8.9).
O Espírito Santo é Onipresente e nos acompanha durante toda a vida , Sem a atuação do Espírito Santo nunca veríamos com clareza a verdade divina sobre o nosso pecado, ou a respeito do nosso Salvador. Isto é o que eu acho que Jesus quis dizer em João 6:44: "Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia."
A Bíblia nos faz urna advertência solene de não resistirmos ao chamado do Espírito Santo. Lemos em Gênesis 6:3: "O meu Espírito não agirá para sempre no homem." Sem a "ação" do Espírito Santo é impossível chegar a Cristo. Mas há o perigo de passarmos do último "retorno", e de nossos corações se tornarem tão insensíveis e endurecidos pelo pecado que não ouvimos mais a voz do Espírito

2. O desenvolvimento da relação com o Divino Espírito Santo. 
Assim como o processo de adoção não termina com o ato em si (na realidade, é neste momento que tudo, de fato, inicia-se), da mesma forma ocorre quando, através da adoção (Rm 8.15), tomamo-nos “filhos de Deus” (Jo 1.12,13). A partir de então, passamos a desfrutar de um relacionamento que deve aprofundar-se e estreitar-se a cada dia (Jo 11.13). Evidentemente, uma das formas mais eficazes de desenvolver um relacionamento é desfrutar da presença da pessoa a quem amamos. Com o Espírito Santo não é diferente, precisamos buscá-lo e desejar-lhe a presença (At 5.32; 7.55; 9.31; 13.2; 2 Tm 1.14).
A relação do Espírito Santo conosco é dinâmica ou  seja está em constante evolução, se hoje ele nos usa com o dom da palavra amanhã poderá ser com cura,profecias e outros , um dos grandes erros de cristãos hoje em dia é achar que por já serem usados por Deus com o dom de Variedade de línguas a obra para neste ponto e não precisam mais buscar os demais dons .
3. Ser “cheio do Espírito Santo”. 
Paulo ensina que devemos manter-nos sempre cheios do Espírito Santo (Ef 5.18). Estar “cheio do Espírito Santo” ou “deixar que o Espírito nos encha” significa ser controlado, governado e guiado por Ele (Cl 5.16). Como filhos de Deus, precisamos de uma renovação contínua em nosso ser a fim de que sejamos instrumentos do Altíssimo.
Não existe nada pior que o cristão ser cheio do Espírito Santo  e começar a se tornar desleixado em relação a sua vida espiritual , devemos buscar constantemente a face de Deus pois ele tem muito mais para fazer em nossa vida , isto tem ocorrido com muita freqüência em nossos dias , o cristão começa cheio do Espírito Santo mas com o passar do tempo vai se esvaziando sem perceber , vai sendo tomado pelos afazeres do dia a dia começa a olhar mais para o lado que para cima , e sabe o que acontece quando se olha para os homens?  Vemos a  nós mesmos e definhamos espiritualmente ,somente quando nos voltamos para Deus é que evoluímos como cristãos .


III. O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO CAPACITA-NOS A FAZER A OBRA DE DEUS

1. Intrepidez para testemunhar. 
Já aprendemos que o batismo com o Espírito Santo encoraja e fortalece o crente a testemunhar de Cristo, capacitando-o a cumprir a missão máxima da Igreja — a evangelização (At 1.8). Seu propósito não é somente capacitar-nos a falar línguas estranhas, mas preparar-nos para o serviço cristão. Os discípulos de Cristo, após receberem a promessa, saíram ousadamente a pregar a Palavra de Deus (At 4.13). Antes, eram tímidos e temerosos, porém, após o revestimento de poder, passaram a proclamar audaciosamente o Evangelho de Cristo e a realizar sinais, milagres e maravilhas (At 2.14-40; At 3.1-10). Você tem pregado o evangelho com abnegação, amor e poder?
Quantos tem buscado os dons do Espírito Santo e recebido , mas não tem cumprido o ide de Cristo  a capacitação que o Espírito Santo  oferece é para ser usada na obra de evangelização e na edificação do corpo de Cristo e não para proveito pessoal.

2. Formação de discípulos. 
Em o Novo Testamento, a palavra discípulo significa “aprendiz” e “seguidor do seu mestre”. Jesus chamou-nos a seguir seus passos. Você tem seguido os passos do Salvador? O próprio Mestre oferece-nos uma condição para que venhamos a ser, de fato, seus discípulos: “Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8.31b,32). O Espírito Santo é quem ajuda-nos a seguir os passos do Mestre, seu exemplo e seus ensinamentos.
Neste ponto, cabe-nos uma reflexão. Todas as atividades desempenhadas pela Igreja são importantes, mas a prioritária é a evangelização e a formação de discípulos (Mt 28.19,20). O progresso de uma igreja não pode ser medido, ou avaliado, apenas por suas atividades filantrópicas, educacionais e materiais. Estas, apesar de importantes, não constituem o principal trabalho da Igreja de Cristo. O progresso de uma igreja, por conseguinte, deve ser mensurado por seu trabalho missionário e evangelístico, juntamente com seus frutos espirituais, como resultado da semeadura da Palavra de Deus (At 6.2; 15.36-41).
3. Chamados para servir. Deus chamou-nos a servir. Muitos, recusando esse chamado, querem apenas ser servidos.As Sagradas Escrituras mostram que Jesus, nosso Mestre e Senhor, foi ungido pelo Espírito Santo para servir (Lc 4.18,19). Certa vez, Jesus declarou: “[...] o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Mt 20.28). Se quisermos realmente servir ao Senhor com inteireza de coração, é preciso que sirvamos aos nossos irmãos (1 Jo 3.16-18). Assim agia Jesus, nosso perfeito modelo de líder servidor. Ele viveu para fazer a vontade do Pai e servir a todos (Mc 10.45). Você está disposto a servir ao Mestre? O que você tem feito — pela Igreja e pelas demais pessoas — com os dons e talentos que recebeu do Senhor? Um dia teremos que prestar contas de tudo que recebemos Dele

                                                         
                                                       CONCLUSÃO
Fomos chamados para a santificação e o serviço. Sabemos que ainda há muito trabalho a ser feito, por isso precisamos do revestimento de poder que vem do alto. Sem o Espírito Santo não conseguiremos cumprir as demandas e reivindicações da Grande Comissão (Mt 28.19,20; Mc 16.15), pois somente alguém cheio do Espírito Santo é capaz de ouvir, compreender e obedecer à voz do Senhor.

Bibliografia:
Revista CPAD 2º trimestre
Conhecendo as Doutrinas da Bíblia Myer Pearlman

1 comentários:

Gustavo Carvalhal Castro disse...

e verdade querido irmão sem a capacitação do Espírito Santo não tem como darmos continuidade ao que DEUS nos confiou, continue sendo essa pessoa usada plenamente na obra de DEUS

EBD

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...